Entrada das alianças

18 de julho / marcellalisa

The entry of the ring-bearer is one of the most exciting points in the wedding, and also the most special. Usually the bride and groom choose (and rightly so) loved ones from the family to do the role: cousins​​, nephews, grandparents or siblings.

sarahkathleen.comdaminhas Photography by Leah Mariana_e_Eduardo1002

My first choice was to invite our two grandparents to enter together with the rings, but both had difficulty walking and preferred not to risk it. My second and only other option was my sister. But before continuing to read the story, press play and listen to the music chosen for this moment.

I said “second and only other option” because there was no third option. But believe me, I almost had to have one! My sister is very shy and doesn’t like being the centre of attention, but from the beginning I wanted a special song for the entrance of the ring-bearer in the middle of the ceremony. My sister said she would go with the other ladies in the beginning, before me, but would not go alone after, as I wanted.

I was devastated, and I started to think she wasn’t willing to help me make my dream come true, with all the minute details that I had imagined. We discussed it, cried and after a brief misunderstanding I understood how difficult it was that I was asking her. She would face her fear, it would be traumatic, and I didn’t really know if it was fair for me to demand it.

On the other hand, my father understood the importance I gave to having my dear sister and best friend entering with the rings that would change my life forever. He talked to her and asked her to try to tackle it for both me and for her. To my surprise she said she would try. We rehearsed her entrance that day at my parents’ house. Through tears and smiles we hugged and cried. I certainly remembered this moment when she was actually walking towards the altar.

 To see my sister entering the aisle on that September 1 was proof of her love. Every time I think back to the difficulties she was experiencing, and all for my sake! She cried the whole time, and my heart could not stand it. Our eyes met and we were united with the same feeling and emotion. When we embraced only we knew what was really happening. It was a mixture of love, companionship, friendship, joy and emotion that gripped us. And it certainly brought us together even more.

Untitledcasamentomarcella-888casamentomarcella-892casamentomarcella-897casamentomarcella-896casamentomarcella-909lista-de-presentes-enxoval

Since Sunday is the day of friendships, here is my homage to my best friend. Carolzita, thank you for being my lovely ring-bearer! ♥

Regardless of who you choose to be yours, choose from the heart. This moment, without doubt, will stay forever in the memory of the bride and groom but also in the heart of the ring-bearer, too.

—-

My sister read this post, loved it, and asked if she could share her own experience in her own words. Take a look at her beautiful thoughts!

“Hello readers of Love and Berries, it is with great pleasure that I write my experience as ring-bearer. So, at first I didn’t accept the idea very well, because I though it very strange that I’d be a ring-bearer and I was a lady, and not a child. Moreover, I struggled to understand the real meaning the ring-bearer’s role. In the end I felt the most honoured person in this world and I felt bad about myself for being so tough. I was always too shy with things involving a large number of people, and always identified myself with things behind the scenes, such as I attended almost all the wedding details. When I first heard the idea I put the condition that all the ladies entered together, but my sister cried and said that was not the way she wanted, because she had thought about having a little plate for each lady, and she wanted me to enter alone in the middle of the ceremony. We also had a very positive intervention from our father, who talked with me about her motives and to her about my reasons for not being misinterpreted by my hesitancy. I tried to make it clear that I would do anything for her, but what she asked me was something very personal. I wished I could but I was afraid to ruin everything, such as by entering too fast, trembling too much or even dropping the rings. Another resistance factor was the fact that from the beginning I thought of my bridesmaid dress, researching how I wanted it, and it bothered me the idea of being dressed in an outfit the same as the four other girls. I dreamed of entering accompanied by my boyfriend and a couple of groomsmen. But over time I realized how small my thoughts were and how I was being selfish with someone who is my best friend, second mother, and in truth, older sister. With time I also realised that for love you can do crazy things and face all your fears. I completely accepted the idea and thought no more about the rest, just her. It was her who chose the dress and said it would be her way. I opened up my stubborn ways and submitted myself to her dream, which became mine too. In the end I can say to all adult ring-bearers that are hesitant: it is worth it! It’s worth it and I would do it again for my super sister. I think I went too fast, but I tried my best, and I’ll never forget the look of gratitude and sincerity beyond words both her and Henrique gave to me. I seemed to dance on the altar I was trembling so much, but I hid it well according to many. But to conclude, my feeling is that it was Mission Accomplished and I would never have forgiven myself for not having done it for her. Good luck to all the brides in choosing their bridesmaids and ring-bearers, and good luck to all those who have the honor of carrying the greatest symbol of love, the rings. “

……………………………………………………………………..…………………………………………………………………….

Music Better – Brooke Fraser

Photography: Jivago sales | Inspirations from: Style me pretty, Style me pretty 2, Style me pretty 3, Zankyou

A entrada das alianças é um momento na maioria das vezes emocionante mas sempre especial. Normalmente os noivos optam (e com razão) por colocar pessoas queridas da família para isso: priminhos, sobrinhos, avós ou irmãos.sarahkathleen.comdaminhas Photography by Leah Mariana_e_Eduardo1002

Minha primeira opção foi convidar nossas duas avós para entrarem juntas com as alianças, porém ambas estavam com dificuldade de andar e preferiram não arriscar. Minha segunda e última opção foi a minha irmã. Mas para continuarem a lerem o relato desse momento apertem o play e escutem a música escolhida para esse momento.

Disse segunda e última opção por que não existiria uma terceira possibilidade. Mas acreditem, quase teve que ter! Minha irmã é muito tímida e não gosta de ser o centro das atenções, mas desde o começo eu queria uma música especial para a entrada das alianças, no meio da celebração da cerimônia. Minha irmã disse que entraria com as demais damas no começo, antes de mim, mas não entraria sozinha depois como eu queria.

Fiquei arrasada e cheguei a pensar que ela não estivesse disposta a me ajudar a tornar o meu sonho real, com todos os mínimos detalhes que idealizava. Discutimos, choramos e após um breve desentendimento eu entendi o quanto era difícil o que eu estava pedindo a ela. Ela enfrentaria medos, traumas e não sei se realmente era justo eu impor isso a ela.

Por outro lado, meu pai entendeu a importância que eu dava em ter a minha querida irmã e melhor amiga entrando com as alianças que mudariam a minha vida. Ele conversou com ela e pediu para ela tentar enfrentar isso por mim e por ela. Para minha surpresa ela disse que tentaria. Ensaiamos nesse mesmo dia na casa dos meus pais a entrada dela. Em meio a lágrimas e sorrisos nos abraçamos e choramos. Sem dúvidas me lembraria disso quando ela estivesse andando rumo ao altar.

Ver a minha irmã entrando no corredor naquele primeiro de setembro foi uma prova de amor. Em todo tempo pensava na dificuldade que ela estava enfrentando, por minha causa! Ela chorou o tempo inteiro, e meu coração não aguentou. Cruzamos nossos olhares e estávamos unidas com o mesmo sentimento e pensamento. Quando nos abraçamos somente nós duas sabíamos o que realmente estava acontecendo. Foi um misto de amor, companheirismo, amizade, alegria e  muita emoção que tomou conta de nós.  E isso com certeza nos uniu ainda mais.

Untitledcasamentomarcella-888casamentomarcella-892casamentomarcella-897casamentomarcella-896casamentomarcella-909lista-de-presentes-enxoval

Já que domingo é dia do amigo, fica aqui a minha singela homenagem à minha melhor amiga. Carolzita, muito obrigada por ter sido minha linda porta-alianças! 

Independente de quem escolherem para ser o(a) de vocês, escolham com o coração. Esse momento, sem dúvidas, vai ficar pra sempre na memória dos noivos mas também na do(a) -porta-alianças.

—-

Minha irmã leu esse post, amou e fez questão de compartilhar essa experiência com suas próprias palavras. Vejam que coisa linda!

“Olá leitoras do blog Berries and Love, é com muito prazer que venho aqui relatar a minha experiência como porta-alianças. Então vamos lá, no começo não aceitei a ideia muito bem porque estranhei muito o fato das damas serem adultas e não crianças, além disso custei para entender o real significado de se entrar com as alianças. No fim das contas eu me senti a pessoa mais honrada desse mundo e me senti mal comigo mesma por ter sido tão resistente. Sempre fui muito tímida para coisas que envolvessem uma maior quantidade de pessoas, e sempre me identifiquei com as coisas por trás dos bastidores, tanto que participei de quase todos os detalhes do casamento . Quando aderi a ideia coloquei a condição de que todas as damas entrassem juntas, mas minha irmã chorava e dizia que assim não era do que jeito que ela queria pois já tinha pensado em uma plaquinha para cada uma, e que queria que eu entrasse sozinha no meio da cerimônia. Tivemos também uma intervenção muito positiva do nosso pai que conversou comigo sobre os motivos dela e com ela sobre os meus motivos, para não sermos mal interpretadas pela outra. Eu tentava deixar claro que faria tudo por ela com o maior prazer, mas o que ela me pedia era algo muito pessoal. Eu queria conseguir mas temia estragar tudo, como por exemplo entrar rápido demais, tremer muito ou até mesmo deixar cair o porta alianças.  Outro fator de resistência era o fato que desde o começo eu pensava no meu vestido de madrinha, pesquisava como eu queria que ele fosse e me incomodava a ideia de estar vestida com uma roupa igual a de outras quatro meninas. Sonhava em entrar acompanhada do meu namorado como casal de padrinhos. Mas com o tempo fui percebendo o quão insignificantes eram os meus pensamentos e o quão egoista eu estaria sendo com aquela que é a minha melhor amiga, segunda mãe, e de fato, irmã mais velha. Com o tempo tambem pude perceber que por amor faria loucuras e enfrentaria todos os meus temores. Aceitei por completo a ideia e não pensei mais no resto, apenas nela. Foi ela mesma quem escolheu o vestido e disse que tudo seria do jeito dela. Abri mão do meu jeito teimosa e me submeti ao sonho dela que se tornou o meu também. No fim das contas posso dizer a todas damas adultas resistentes: vale a pena! Valeu a pena e faria tudo de novo pela minha super irmã. Eu acho que entrei muito rápido, mas dei o meu melhor, e, nunca, nunca vou me esquecer do olhar de gratidão e sinceridade além das palavras de reconhecimento dela e do Henrique assim que entreguei as aliancas. No altar eu parecia dancar de tanto que tremia, o disfarce foi quase inevitável de acordo com muitos. Mas para concluir, minha sensação é de missao cumprida e jamais teria me perdoado não ter feito isso por ela. Boa sorte a todas as noivas na escolha de suas damas e porta-alianças e boa sorte a todas as daminhas que tiverem a honra de levar o maior símbolo de amor, as alianças.”

……………………………………………………………………..…………………………………………………………………….

Música: Better – Brooke Fraser (Já disse que é a minha cantora preferida né? 😉 )

Fotografia: Jivago sales | Fotos inspirações: Style me pretty, Style me pretty 2, Style me pretty 3, Zankyou

  • CORES:

COMPARTILHE:
COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário!


17 comentários em “Entrada das alianças
  1. Hanaty -

    Que história mais liinda! ^^

  2. Melissa Rocha Monteiro -

    maravilhoso como tudo. Engrosso o coro de toalha pra ler e ver esse blog. vou desidratar. Beijos Mah!!!

  3. Berries and Love -

    Nossa Ana, ainda bem que vocês puderam mudar o rumo da história. Ainda bem que hoje em dia não mais isso de certo ou errado, pelo menos para a maioria. É o dia dos noivos, nada mais justo que eles escolherem tudo. Ah, ainda bem que ele trocou mesmo. Vocês formam um casal lindo!
    Beijos

  4. Berries and Love -

    Eu também amei! ♥

  5. Berries and Love -

    Vai sim Vanessa! Essa fase é boa para aprendermos a ceder e aceitarmos a opinião do outro. NO final sempre dá certo! 🙂

  6. Ana Cristina Paiva -

    Adorei o post e o depoimento da Carol! Eu e minha irmã, quando crianças, fomos proibidas pelo meu pai de sermos damas de qualquer casamento (ele achava que era uma exibição desnecessária). Passamos a infância chateadas e quando me casei, em 2002, fiz questão que minha irmã, já adulta, fosse minha dama. Naquela época, no Brasil, não se usavam damas adultas, foi super diferente! Convidei todas as minhas 6 primas e elas entraram de vestido vermelho, foi um sucesso. O padre chegou a brincar com o meu marido se ele não queria me trocar por uma das damas, rs. Ainda bem que ele não aceitou!

  7. Naira -

    Achei liiiiiindo o depoimento!

  8. Vanessa -

    Que lindo!!! Estou preparando o meu casamento e há um mix de desejos entre eu e meu noivo… cada um quer uma coisa… assim é dificil conciliar… mas tudo vai dar certo!!!!

  9. Berries and Love -

    Vou preparar com muito carinho amiga! :*

  10. Berries and Love -

    Mylla, muito obrigada pelo carinho! Sou mesmo muito grata a Deus pela família que tenho. Pelo pouco que te conheço também tenho certeza que esses valores são importantes na sua família. Adoro te ver por aqui!

  11. Berries and Love -

    Ah que linda! Adorei o comentário fofo! Espero tocar o seu coração mais vezes! Beijinhos.

  12. Lari Retes de Melo -

    Ahh foi lindo! E se a Carol entrou rápido como ela disse, o momento estava tão mágico que passou despercebido! Que venha o post sobre as damas! ^^

  13. Mylla Bueno de Souza -

    Nossa tinha lido mais cedo e me emocionado, mas o relato da irmã abrilhantou ainda mais, percebe-se que seus pais criaram vcs com muito amor, são mulheres meigas, sensíveis e admiráveis, mas principalmente submissas ao amor, seja ele de que natureza for! Muito lindo!

  14. Marina Ferreira -

    Lencinho é pouco, né! Nem tô nessa fase,ainda, mas já fico derretida com cada detalhe. Aff, vou precisar de um toalha, um balde!! 😉 #InLoveWithBerriesAndLove

  15. Berries and Love -

    Ju, meus pais reclamam a mesma coisa, que tudo que faço eles choram. Mas eu sou muito sensível e muito intensal!! Pelo menos são lágrimas de alegria e emoção boa né? <3

  16. Juliana Freitas -

    Nossa! Ler post do Berries só com lencinho do lado! rs.
    Não estava pensando em colocar ninguém para entrar com as alianças, mas agora…

Você pode também